sexta-feira, 6 de junho de 2014

PENTECOSTES





“Quando chegou o dia de Pentecostes, todos os seguidores de Jesus estavam reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho que parecia o de um vento soprando muito forte e esse barulho encheu toda a casa onde estavam sentados. Então todos viram umas coisas parecidas com chamas, que se espalhavam como línguas de fogo e cada pessoa foi tocada por uma dessas línguas. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, de acordo com o poder que o Espírito dava a cada pessoa.” (Atos dos Apóstolos 2, 1-4)

A festa de Pentecostes celebra a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos, reunidos em Jerusalém, 50 dias após a Páscoa. Estavam presentes os Apóstolos, a Mãe de Jesus e um bom número de outros, conforme o livro dos Atos. A manifestação extraordinária do Espírito Santo era esperada. Na ressurreição, o Senhor já o comunicara: “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados, e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.” (Jo 20, 21-23)

Quem é o Espírito Santo?
O prometido por Jesus: "... ordenou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a realização da promessa do Pai a qual, disse Ele, ouvistes da minha boca: João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo dentro de poucos dias." (At 1, 4-5)
Espírito que procede do Pai e do Filho: "Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade que vem do Pai, Ele dará testemunho de Mim e vós também dareis testemunho..." (Jo 15, 26-27). O Espírito Santo é Deus com o Pai e com o Filho. Sua presença traz consigo o Filho e o Pai. Por Ele somos filhos no Filho e estamos em comunhão com o Pai.

Hóspede misterioso e discreto
Pentecostes conclui o ciclo da Páscoa. Nesta solenidade de Pentecostes, além da descida do Espírito Santo sobre a Virgem Maria e os Apóstolos no Cenáculo, recordamos: a primeira pregação do Evangelho em Jerusalém, a formação da primeira comunidade cristã e o nascimento da Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo. O protagonista invisível de todos esses acontecimentos foi e é o Espírito Santo.
Pentecostes quer dizer cinquenta dias depois da Páscoa. Os hebreus tinham uma festa agrícola da colheita, com o mesmo nome. Os cristãos recordam o fato acontecido depois da Páscoa: o Espírito Santo dado por Jesus à sua Igreja pousando sobre Maria e sobre os Apóstolos.
Consequências desse místico acontecimento são os apóstolos, plenos do Espírito Santo, dando testemunho publicamente do Senhor, e os primeiros ouvintes crentes reunidos em torno deles. Naquele dia começou a história da Igreja. É justo fazer festa desse início divino da Igreja.
Festa do Espírito Santo, o protagonista daquele dia, misterioso, que trabalha invisivelmente. Hoje, quase nos esquecemos deste hóspede misterioso e discreto, que também está presente em nós. É espírito, por isso não é percebido pelos sentidos. Estamos no mistério de Deus, e sentimos que as nossas palavras são como velas no escuro: acendemos uma pequenina, que dura pouco e depois se apaga.
A Bíblia o apresenta como poder de Deus que opera no universo. Poder muitas vezes imperceptível, silencioso, discreto, sempre respeitoso da liberdade humana. Ao mesmo tempo, porém, irresistível ao realizar os desígnios de Deus.
A Bíblia se expressa recorrendo a imagens sugestivas: o vento, o sopro, o gosto, o respiro. Uma imagem muito conhecida, a da pomba, representada em tantos quadros. Imagens como terremoto, trovão, línguas de fogo.
Desde o início, o Espírito aparece como protagonista já na criação. No segundo versículo do Gênesis se lê: “Deus criou o céu e a terra. O Espírito de Deus pairava sobre as águas.” Poucas páginas adiante, relatando a criação do homem, a Bíblia diz que Deus soprou nele “o sopro da vida”, imagem do Espírito.
O Espírito aparece também como protagonista na história do povo eleito. Lemos, nos vários livros do Antigo Testamento, que o Espírito pousava sobre os reis sábios de Israel, sobre Davi, sobre Salomão. Inspirava os profetas mandados como guias espirituais ao povo. Inspirava os autores dos livros da Bíblia. Por isso falamos de autores e de livros inspirados.
O Espírito aparece como protagonista junto a Jesus na Sua vida terrena. Já no Seu nascimento, Maria, perturbada pela palavra do Anjo, pediu explicações, e foi dito: “O Espírito do Senhor descerá sobre ti e estenderá a sua sombra, o poder do Altíssimo.” Depois o Espírito se faz presente no batismo de Jesus.
       Nos milagres que Jesus operava: “Dele saia uma força”, diz o evangelho. As multidões diante dos prodígios exclamavam: “Aqui tem o dedo de Deus”, outra imagem curiosa, mas expressiva.
Também o Espírito foi a grande promessa feita por Jesus aos discípulos. Os apóstolos, sabendo que Jesus estava para deixá-los, ficaram tristes. Jesus promete o envio do Espírito Santo, consolador e defensor.
A festa de hoje nos apresenta o Espírito Santo sobre os apóstolos em Pentecostes. Os apóstolos receberam no Cenáculo o dom das línguas, isto, é a capacidade de fazer-se compreender por todos provenientes de outros países. Saíram do cenáculo, dirigiram-se ao Templo de Jerusalém. O templo naquele dia de festa estava repleto de gente, e os apóstolos falaram à gente. Nos dias precedentes os mesmos estavam medrosos e escondidos, temerosos de se fazer ver. Mas naquele dia apresentaram-se sem temor, “cheios do Espírito Santo” e começaram a anunciar o Evangelho a israelitas, a estrangeiros, a todos.
 O Espírito Santo também hoje é protagonista no meio de nós para que os cristãos fiéis possam testemunhar Cristo ao mundo. Está presente e operante em nossos encontros, ilumina nossas mentes, fortalece a nossa boa vontade, sugere os propósitos do bem.

Dons do Espírito Santo
Dons do Espírito Santo, segundo a Bíblia, são atributos proporcionados sobrenaturalmente aos cristãos pelo Espírito Santo. Segundo o texto bíblico da 1ª carta de Paulo aos Coríntios, existem nove diferentes dons possíveis de serem alcançados pelo cristão.

A nossa vida espiritual tem duas dimensões, primeiro uma dimensão voltada para dentro de nós e depois outra voltada para fora. Na dimensão interior estão os Dons de Santificação. Na dimensão exterior estão os Dons Carismáticos, é a dimensão de comunidade, de caminhar com o povo de Deus.  Estes dons não são necessariamente para nós, mas para os outros.



Os Dons da Santificação são:
Dom da Fortaleza
Dom da Piedade
Dom da Sabedoria
Dom do Conhecimento
Dom do Conselho
Dom do Entendimento
Dom do Temor de Deus


Os Dons Carismáticos são:
Dom da Fé
Dom da Interpretação
Dom da Profecia
Dom da Cura
Dom de Línguas
Dom de Milagres
Dom do Discernimento
Palavra de Ciência
Palavra de Sabedoria


Símbolos
O Espírito Santo é representado de diferentes formas:
Água: O simbolismo da água é significativo da ação do Espírito Santo no Batismo, já que a água se transforma em sinal sacramental do novo nascimento.
Unção: Simboliza a força. A unção com o óleo é sinônimo do Espírito Santo. No sacramento da Confirmação o confirmando é ungido para prepará-lo para ser testemunha de Cristo.
Fogo: Simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito.
Nuvem e Luz: Símbolos inseparáveis nas manifestações do Espírito Santo. Assim desce sobre a Virgem Maria para "cobri-la com sua sombra". No monte Tabor, na Transfiguração, no dia da Ascensão; aparece uma sombra e uma nuvem.
Selo: É um símbolo próximo ao da unção. Indica o caráter indelével da unção do Espírito nos sacramentos e falam da consagração do cristão.
A Mão: Mediante a imposição das mãos os Apóstolos e agora os Bispos, transmitem o "Dom do Espírito".
A Pomba: No Batismo de Jesus, o Espírito Santo aparece em forma de pomba e posa sobre Ele.

Passagens bíblicas relacionadas:

“No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra estava informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas.” (Gen 1, 1-2)

“Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força, e sereis Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo.” (At 1, 8)

“Ora, não recebemos o espírito do mundo, mas sim o Espírito que vem de Deus, que nos dá a conhecer as graças que Deus nos prodigalizou.” (I Cor 2, 12)

“Derramarei do Meu Espírito sobre todo ser vivo: profetizarão os vossos filhos e filhas. Os vossos jovens terão visões e, e os vossos anciãos sonharão.”(Joel 3, 1)

“Quando vier o Paráclito, o Espírito da verdade, ensinar-vos-á toda a Verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão.” (Jo 16, 13)

“Com efeito, aquele que Deus enviou fala a linguagem de Deus, porque Ele concede o Espírito sem medidas.” (Jo 3, 34)

“(…) o fruto do Espírito Santo é a caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança.” (Gal 5,22-23)

“Se vivermos pelo Espírito, andaremos também em acordo com o Espírito.” (Gal 5, 25)

“Outrossim, o Espírito vem em auxílio a nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.” (Rom 8, 26)

E Jesus disse: “Vós sereis batizados no Espírito Santo dentro de poucos dias…” (At 1, 5)

Fonte: http://www.catequisar.com.br/texto/materia/celebracoes/pentecostes/ind.htm




Nenhum comentário:

Postar um comentário