segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

A Noite de Shivaratri - 17 de fevereiro de 2015, terça de Carnaval.



17 de fevereiro, terça

Maha (Grande) Shivarathri (Noite de Shiva) é um dos mais importantes festivais da Índia. Os devotos comparecem em massa aos templos de Shiva por todo o país, para passarem a noite em jejum e em vigília, cantando em louvor ao Senhor do Universo e à personificação do Poder Transformador de Deus. Deste modo, buscam obter Sua Graça para transcender a mente inferior que prende o homem à noção do ego, a fim de alcançar a iluminação, ou seja, a consciência da unidade divina. Essa noite é considerada auspiciosa para este fim, por ser a última noite antes da Lua Nova, que corresponde a um momento em que a mente está mais fraca e, portanto, mais fácil de ser controlada e transcendida.

A coletânea de textos a seguir é proveniente de Discursos de Bhagavan Sri Sathya Sai Baba, em diferentes anos, por ocasião do Festival de Mahashivaratri.


A Noite de Shivaratri Deve Ser Passada em Vigília
Deixem-me contar-lhes porque esse dia é considerado sagrado. Hoje, é o décimo quarto dia da metade escura do mês, quando a lua está quase totalmente invisível; apenas uma diminuta fração resta visível ao homem. A lua é a deidade regente da mente. A mente é a fonte dos desejos e das emoções envolventes. A mente está, portanto, quase impotente nesse dia; se apenas essa noite é despendida em vigília e na presença do divino, a mente pode ser totalmente conquistada e o homem pode atingir sua liberdade. Assim, todo mês, o décimo quarto dia da metade escura do mês é prescrito para uma disciplina espiritual mais intensa e, uma vez por ano, esse Mahashivaratri, a Grande Noite de Shiva, é estabelecida para a Grande Consumação. Nessa noite, a vigilância deve ser assegurada pela disciplina espiritual, por meio de cantos devocionais, leitura de textos sagrados ou escutar a leitura desses textos, não assistir a filmes e shows, apostar ou jogar cartas.
Sai Baba – 09/03/1967

Nós não temos somente o Mahashivaratri uma vez por ano, temos um Shivaratri a cada mês, dedicado à adoração de Shiva.
E por que a noite é tão importante? A noite é dominada pela lua. A lua tem 16 frações de glória divina e, a cada dia, ou melhor, noite, durante a quinzena escura do mês, uma fração é reduzida, até que a lua inteira é aniquilada na noite de lua nova. A partir de então, a cada noite, uma fração é adicionada, até que a lua seja um círculo completo na noite de lua cheia. A lua é a deidade que rege a mente; a mente cresce e mingua como a Lua. “A lua nasceu da mente do Ser Supremo” (Verso em Sânscrito).
Deve ser lembrado que o objetivo de todo esforço espiritual é eliminar a mente para tornar-se Amanaska (sem mente). Somente, então, os véus da ilusão podem ser rasgados e a realidade revelada. Durante a quinzena escura do mês, a prática espiritual tem que ser feita para eliminar a cada dia uma fração da mente, pois a cada dia uma fração da lua também está sendo eliminada da percepção. Na noite de Chaturdhasi, o 14º dia, a noite de Shiva, somente uma fração permanece. Se algum esforço especial for feito esta noite, através de prática espiritual mais intensa e vigilante, como rituais de adoração, repetição de nome ou mantra sagrado e meditação, o sucesso será assegurado. Deve-se meditar somente sobre Shiva durante esta noite, sem a mente vagar em pensamentos sobre sono ou alimento. Isto tem que ser feito todo mês. Uma vez por ano, no Mahashivaratri, um esforço especial de atividade espiritual é recomendado, assim o que é cadáver (shavam) torna-se Deus (Shivam), pela consciência perpétua de seu Divino Morador...



Empenho, isto é o principal.
Cada forma concebida no ensinamento e nas escrituras sagradas tem um profundo significado. Shiva não monta um animal chamado touro, na linguagem humana. O touro é o símbolo da estabilidade, sustentada nas quatro patas, verdade, retidão, paz e amor. Shiva é descrito como tendo três olhos, olhos que veem o passado, o presente e o futuro. A pele de elefante que forma seu manto é um símbolo dos traços animalescos primitivos que Sua Graça destrói. De fato, Ele os parte em pedaços, os descasca e eles se tornam totalmente inúteis. Suas quatro faces simbolizam equanimidade (Shantham), terror (Roudhram), graça (Mangalam) e energia elevada (Uthsaham). Enquanto adoram o Lingam neste dia de Lingodhbhava, vocês precisam meditar nestas verdades de Shiva que o Lingam representa. Não é só esta noite que vocês devem passar no pensamento de Shiva; toda a sua vida deve ser vivida na constante presença do Senhor. Empenho: isto é o principal; isto é a consumação inexorável para todos os mortais. Mesmo aqueles que negam a Deus terão que trilhar a estrada do peregrino, dissolvendo seus corações em lágrimas de trabalho árduo.

Se vocês fazem o mais leve esforço para se moverem ao longo do caminho de suas próprias liberações, o Senhor os ajudará cem vezes. Esta é a esperança que o Mahashivaratri transmite a vocês.
O homem é assim chamado porque tem a habilidade para fazer manana. Manana significa meditação profunda sobre o significado e importância daquilo que se ouviu. Mas vocês ainda não saíram do estágio de ouvir! Todo o contentamento que desejam está em vocês, mas, tal qual o homem que possui vastas riquezas em um cofre de ferro, mas não tem ideia de onde está a chave, vocês sofrem. Ouçam corretamente as instruções, deem ênfase a elas no silêncio da meditação, pratiquem o que ficou claro disso; então, vocês podem segurar a chave, abrir o cofre e serem ricos em contentamento.

Vocês desistiram até da pequena disciplina espiritual que o Shivaratri requer.
Em tempos antigos, as pessoas não colocavam nem uma gota de água em suas línguas neste dia. Agora, aquele rigor se foi. Eles costumavam manter vigília à noite, a noite inteira, sem um instante de sono, repetindo Om Namashivaya, sem interrupção. Agora, o nome Shiva não está na língua de ninguém, mas aqueles que negam a Deus estão somente negando a si próprios e suas glórias...

Resolva, neste sagrado Shivaratri, na presença de Shiva Sai, visualizar Shiva como o poder interno de todos.
Com cada respiração, vocês estão, agora mesmo, afirmando "Soham", "Eu Sou Ele", não só vocês, mas todo ser que respira, todo ser que vive, tudo o que existe. É um fato que vocês têm ignorado até agora. Acreditem nisto de agora em diante. Quando observam suas respirações e meditam sobre esta magnífica verdade, devagar, o Eu e o Ele se atrairão para mais próximo e perto, até que o sentimento de separação desaparecerá e o Soham será transformado em OM, o pranava, o som primordial, a fórmula fundamental para Deus. Este OM é a Realidade por detrás desta "realidade relativa".
Sai Baba – 14/02/1969

Todos vocês são templos, nos quais o Senhor está instalado em seus corações
(...) dentre os dias do ano, alguns são considerados mais sagrados, quando os devotos envidam esforços especiais para se aproximarem de Deus por meio de rituais devocionais ou da repetição fervorosa dos nomes ou das fórmulas sagradas, ou ainda através da meditação. Shivaratri é um desses dias. Quanto a vocês que aqui se reúnem, esse é um dia especial que ficará guardado para sempre em sua memória. O encontro com devotos peregrinos e milhares de aspirantes é uma ocasião de rara ventura.
Sai Baba – 18/02/1966

Cresça com autoestima e dignidade. Esse é o melhor serviço que podem fazer por si mesmos.
(...) não dependam dos outros para fazer seu trabalho, como cuidar de suas necessidades básicas. Façam-no vocês mesmos; isso é liberdade verdadeira. Também, nunca aceitem nada “de graça” dos outros, paguem-nos de volta, em serviço ou com trabalho. Isso fará de vocês indivíduos com autoestima. Receber um favor significa criar vínculos com aquele que o presta.
Sai Baba – 01/03/1955





Com quem? Perto de quem? Perto e com Deus.
Os sábios do passado compreenderam o valor e a dignidade, a importância e a responsabilidade da vida humana e delinearam disciplinas como a vigília e o jejum no dia de Shivaratri a fim de inspirar e instruir o homem no caminho ascendente para Deus. Shivaratri é a palavra que conota a natureza dual do homem e seu dever de discriminar entre o elevado e o inferior. Shiva significa Jnana (a sabedoria elevada, a visão unificadora universal); também significa o permanente, o eterno e o benéfico, o sagrado, o auspicioso. A segunda palavra, ratri, significa escuridão da ignorância, a cega perseguição dos prazeres indignos, o desconcertante engodo das alegrias sensoriais. Significa também o transitório, o passageiro; conota o maléfico, o não auspicioso, o sacrilégio. Assim, a mensagem de Shivaratri é: discrimine entre Shiva e ratri - a energia vital e o corpo, o espírito residente e o corpo, o espiritual e o material, o conhecedor do campo (Kshetrajna) e o campo (Kshetra), chamado na Gita de Yoga da discriminação entre matéria e espírito (Vibhaga-yoga). Contando com o significado meramente literal das palavras, as pessoas esperam um ano inteiro por este particular dia sagrado chegar, para abdicar de uma refeição e chamar de jejum, para perder uma noite de sono e chamar de vigília! O jejum é chamado em sânscrito de Upavasa e significa alguma coisa muito mais significativa do que perder uma refeição! Significa (Upa - perto; vasa - vida) viver com ou viver perto. Com quem? Perto de quem? Perto e com Deus. Upavasa significa viver na inabalável presença constante do Senhor, através de lembrança da Divindade (Namasmarana), este é o verdadeiro jejum (fast), para se agarrar rapidamente (fast) a Ele.
Sai Baba – 15/02/1969


Uma Noite Qualquer e a Noite de Shiva
Cada noite é marcada pela escuridão. Mas a noite de hoje é Shivaratri. Qual é a diferença entre Ratri (noite) e Shivaratri (noite de Shiva)? Para o homem que reconheceu sua Divindade, cada noite é Shivaratri. Para o homem imerso nos interesses mundanos, todas as noites são iguais. Tais noites são marcadas pela escuridão. Esta noite é marcada pela luz. A espiritualidade é o farol que espalha luz para o homem que está cheio de desesperança, imerso em desejos insaciáveis. O nome de Deus é o farol. Ao cantar o nome, aquele que pronuncia o nome pode se realizar. O homem tem que evoluir do corpo para o Divino. O homem é um membro da sociedade. A sociedade é um membro da Natureza. A Natureza é um membro de Deus. O Deus interno está presente em todos.  Ele não conhece barreiras territoriais. Ele é onipresente. Reconhecer a onipresença do Divino é o propósito de se festejar o Shivaratri. Este propósito não é atingido através do jejum e da vigília durante toda a noite. Estas práticas são meras auxiliares para o que é considerado o objetivo final, a realização de Deus. Esta não deve ser adiada para um futuro distante, precisa ser visada aqui e agora. Este é o propósito do Shivaratri.
Sai Baba – 19/02/1993

Vocês serão imensamente beneficiados por se manterem acordados e cantarem a glória de Deus, pelo menos nesta noite.
A Lua é a deidade que preside a mente. A Lua tem dezesseis fases (kalas). No Shivaratri, quinze fases já imergiram em Deus, e somente uma permanece. Pela constante lembrança de Deus, a décima sexta fase também se funde em Deus. Não podem passar uma única noite, em todo o ano, cantando a glória de Deus? Santifiquem esta noite, participando dos cantos devocionais. A bem-aventurança que obtêm dos bhajans, a doçura que experimentam com o divino nome, a felicidade obtida ao visualizarem a divina forma - estas não podem ser obtidas em outro lugar. Tudo é possível somente através do Amor. Assim, cultivem o Amor e santifiquem suas vidas.
Sai Baba – 14/02/1999

Quando vocês fizerem os cantos devocionais esta noite, tenham somente um pensamento.
 Vocês vivenciarão a bem-aventurança dos bhajans. É a bem-aventurança não dual. Por que é determinado que vocês devem cantar bhajans durante toda a noite? O bhajan é feito para controlar a mente e focalizá-la na Divindade. Algumas pessoas permanecem discutindo assuntos mundanos até enquanto estão cantando os bhajans. Essas pessoas não chegam a lugar algum.
Sai Baba – 01/03/2003




Por que o Shivaratri é considerado auspicioso?
A razão é esta. A lua tem 16 estágios, assim como a mente. No dia de Shivaratri, 15 se fundiram e só um permanece. Se o 16º estágio também se funde, a pessoa atinge a Divindade. Esta fusão total só acontecerá quando a pessoa cantar o nome Divino continuamente e de todo o coração.
Sai Baba – 22/02/2001

Eu concedo Minhas bênçãos a todos vocês nesta sagrada noite de Shivaratri.
Cantem o Divino Nome por toda a noite. No limite de suas possibilidades, passem a noite na contemplação de Deus. Só assim poderão experimentar bem-aventurança divina. Poderão até mesmo testemunhar a manifestação da divina refulgência. Cantem o Nome Divino com todo o seu coração.
Sai Baba – 26/02/2006

Onde existe ego, ali mora o perigo.
 Portanto, afastem o ego e cultivem o amor puro e altruísta em relação a todos. Não existe nada neste mundo que não possa ser atingido com amor. Concluo o Meu discurso com a bênção que as vibrações divinas do Namasankirtanam de hoje se espalhem pelo mundo inteiro e propiciem boas qualidades, boas práticas e um bom comportamento a todas as pessoas.
Sai Baba – 01/03/2003




Om Sai Ram